As armadilhas da mentalidade da dieta: porque as dietas para perder peso não funcionam?


Publicado em: 20 de fevereiro de 2018

Para começar eu preciso que você entenda oque eu quero dizer com a palavra dieta, ou seja, uma restrição (de quantidade, calorias) ou proibição alimentar (de alimentos ou grupos de alimentos específicos) pelo simples motivo de perder peso.

Existe uma linha muito tênue entre um aconselhamento sobre melhorias no hábito alimentar e uma ditadura de informações de como se alimentar transmitidas com grande certeza e como regras rígidas.

Primeiramente, fazer dieta não funciona a longo prazo porque tira a responsabilidade de tomar decisões sobre sua alimentação e saúde de você e coloca em terceiro, uma fonte externa que não é você, te tornando dependendo dos conhecimentos, opiniões e prescrições desta pessoa.

Ao seguir os mandamentos impostos por outra pessoa sobre oque, quanto e quando comer, como se fosse máquina, sobre você acaba se desligando do corpo e da própria consciência, e assim, pode comer com mais facilidade na ausência de fome, não sentir saciedade ou perder o diálogo com o corpo sobre as vontades alimentares biológicas.

O papel do profissional de saúde é sim te trazer as informações cientificas mais atuais para te orientar e te ajudar a melhorar o perfil nutricional da sua alimentação se você quiser. Mas no final das contas não adianta você fazer nada na sua vida se aquilo não fizer sentido para você.. se você está seguindo aquelas recomendações com sentimentos de privação, estresse, ansiedade e culpa. Porque qualquer mudança tomada com este tipo de mentalidade não será duradoura e pode se virar contra você e seus objetivos a longo prazo…

Dietas restritivas para perda de peso implicam num tipo inadequado de motivação, levando ao caminho do sacrifício e da privação. Todos os dias de um regime são de luta contra a fome e de conflito com o autocontrole.

A ciência já mostra…

Biologicamente nosso corpo sente o processo de dieta como uma forma de inanição. O seu cérebro não sabe que você está voluntariamente restringindo sua ingestão de alimentos para emagrecer e atingir um padrão de beleza que não é necessariamente saudável para você.

Nosso corpo precisa de combustível para funcionar que são os nutrientes. Quando restringimos o consumo de nutrientes, de algum grupo alimentar nosso corpo fica em estado de alerta por ser sensível a privações. Modifica nosso metabolismo de modo a nos manter vivos e funcionamentos. Como não recebemos combustível suficiente nosso corpo se auto-consome, principalmente pela massa muscular e água, perdendo peso.

O corpo diminui o metabolismo para se adaptar a situação de restrição calórica, desta forma, passa a exercer as mesmas funções utilizando menos energia. A partir do momento que você voltar a comer como antes da dieta, a quantidade de comida que você ingeria para manter o peso agora te fará ganhar peso pois as calorias que o corpo não utiliza para as suas funções serão armazenadas na forma de gordura, o famoso efeito sanfona. Ocorre também uma troca na sua composição corporal, onde o novo peso adquirido vem na forma de gordura e o peso perdido na dieta foi em forma de músculo.

O cérebro interpreta a dieta como um estresse, liberando cortisol que age no corpo degradando a massa muscular para ser utilizada como substrato energético, aumentando o apetite e estimulando a lipogênese (síntese de gordura no tecido adiposo).

Como forma de defesa, o corpo passa a emitir hormônios e neurotransmissores, como a grelina e o NPY, para aumentar a sua fome e desejo por alimentos altamente calóricos, podendo gerar pensamentos compulsivos, aumento da preocupação alimentar, o risco de ter transtornos alimentares e de comer sem fome, perdendo o controle.

Quando restringimos um alimento nossa mente o supervaloriza oque leva a compulsão. 49% das pessoas que realizam dieta desenvolvem compulsão alimentar.

Podem acontecer desequilíbrios do humor e aumento da irritabilidade, a ansiedade ou a depressão.

Outro problema das dietas é a perda da autoestima, a falta de confiança no próprio corpo, a insatisfação com o corpo e a vergonha que geram um estresse emocional, e quando ocorre o efeito sanfona todos esses sentimos negativos são reforçados criando crenças negativas super fortes.

Quem vive de dieta vive nos exageros dos dois extremos: exageram na dieta da mesma forma que exageram na alimentação. Elas se mantém pensando e falando de comida o tempo todo, em restrição ou em compulsão, nunca em equilíbrio. E isso gasta muita energia!

Ninguém conhece seu corpo, sua historia, seus sentimentos e padrões mentais melhor do que você, e ninguém é responsável pelas suas ações e pelas consequências que elas tem na sua saúde física, mental e emocional, além de você.

Se você vive com medo de comer e engordar, se tem culpa quando come algo que considera “não saudável”,

Se você está seguindo uma dieta ou fazendo escolhas alimentares a partir de uma mentalidade da insatisfação, muitas vezes exigindo do seu corpo um padrão de estética que não é o seu natural, que não condiz com o seu biotipo e com um estado de saúde e seu bem estar,

Você está gerando um estresse emocional e físico, e eu já disse aqui quais são as implicâncias de viver sob esse tipo de estresse. E a tendência é que aconteça tudo aquilo que eu acabei de explicar.

A mudança positiva só vai acontecer quando você estiver com a mentalidade de auto aceitação e auto amor, de fazer decisões baseadas em um profundo desejo de bem estar.

A mudança verdadeira e definitiva só vai acontecer quando você se empoderar do seu processo de autoconhecimento, quando você na pratica descobrir que alimentos que te dão prazer na hora de comer e te fazem se sentir feliz e com vitalidade, quais tiram sua vitalidade, te fazem sentir cansada, com fadiga mental, geram reações indesejáveis como dores de cabeça, problemas digestivos, reações na pele e mau humor, enfim, sintomas que não te agradam e que diminuem seu bem estar e qualidade de vida.

E isso só você pode dizer, isso é uma escolha que você tem que fazer a partir de um lugar de auto-amor e de auto cuido, e não de proibição e autocontrole.

Então reflit: Porque você come da maneira que você come? Oque tem por trás do seu comportamento? Dos seus sentimentos?

Eu te convido abrir mão dos seus medos e crenças sobre oque é saudável e não e permitir-se comer para descobrir por você mesma oque te faz bem, para que em algum momento e com leveza você possa mudar seus hábitos alimentares e optimizar sua saúde. Eu te convido a viver uma alimentação sem neuras, sem peso e sem dor em todos os sentidos.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22475574

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1415-52732005000100008