Intolerância a Lactose ou Alergia a Proteína do Leite de Vaca?


Publicado em: 7 de março de 2018

Você chegou ao seu médico com desconfortos abdominais (cólicas, gases, distensão da barriga depois de comer), diarreia ou intestino preso e sintomas como espinhas, dores de cabeça e asma que você percebeu que aparecem ou se agravam quando você toma leite ou consome algum dos seus derivados (queijos, iogurte, sorvete, etc). E ele disse que o seu problema é intolerância a lactose? Você fez o exame e deu positivo? É muito provável que sim.

Mas tenho uma notícia para te dar. Talvez você tenha mesmo intolerância a lactose, mas com estes sintomas é muito mais provável que você tenha ALERGIA A PROTEÍNA DO LEITE DE VACA.

Você tem dificuldade de perde peso, bronquite, sinusite, hiperatividade, eczema, dermatites, depressão, dificuldade de pegar no sono, infecções recorrentes, cistite, dores ou fraqueza muscular ou artrite? Todos estes também são sintomas da alergia ao leite.

INTOLERÂNCIA

A LACTOSE é o açúcar/carboidrato do leite. Ela é composta por uma molécula de glicose e uma de galactose. Quando chega no intestino delgado, a ligação entre estas duas moléculas deve ser quebrada pela enzima LACTASE, para que então cada uma delas se ligue no seu receptor específico no intestino e seja absorvida para a corrente sanguínea.

Se o seu intestino não produz muita enzima lactase, você tem dificuldade em digerir a lactose. A lactose que não é digerida vai para o seu intestino grosso. O intestino grosso é um órgão que absorve água das fezes e a solidifica. No seu intestino grosso, bactérias que normalmente habitam essa região digerem a lactose produzindo fluidos e gases, provocando sintomas em você.

Resultado de imagem para intolerância a lactose

Sendo assim, os sintomas da intolerância à lactose são inchaço no abdome, diarreia e gases após ingerir leite ou derivados. Os sintomas podem aparecer entre 30 minutos a 02 horas após a ingestão do leite ou derivados. Podem ser leves ou mais severos.

Algumas pessoas tem mutações genéticas e não produzem (ou produzem pouca quantidade) da enzima lactase desde criança, neste caso a intolerância normalmente é facilmente identificado. É natural para todos os mamíferos que a produção da enzima lactase diminua com a idade, afinal o leite é um alimento específico para bebês (lembre-se que nós seres humanos somos os únicos animais que bebem leite depois de grandinhos). Então capacidade de cada um de nós de digerir o leite é individual e diminui com a nossa idade. As vezes você já se deu conta que não tolera mais tão bem o copo de leite de vaca que tomava todo dia quando criança mas ainda consegue comer um queijo amarelo sem ter sintomas.

Como a enzima lactase fica na superfície das células intestinais, ela é sensível a infecção, doenças, inflamações ou outros problemas que danificam o intestino delgado, diminuindo seu nível. Baixos níveis de lactase podem torná-lo intolerante ao leite  e derivados até o seu intestino delgado se recuperar.

E lembra que eu disse que se você fizer o teste a chance dele dar positivo é grande? Isso acontece porque o organismo humano digere em média no máximo doses de 14g de lactose, e os teste são feitos com doses de 50g dela.

Há pessoas que podem tolerar alguma quantidade de lactose, portanto o melhor a fazer e eliminar os leite e derivados da dieta e introduzi-los de forma gradual para observar o grau da intolerância.

Os sintomas de intolerância à lactose podem ser eliminados com a redução ou eliminação da ingestão de lactose, conforme o grau de intolerância.

Você pode encontrar a enzima lactase em forma em forma de cápsulas e comprimidos mastigáveis, e ingeri-los antes de consumir algum alimento que possua a lactose. Mas este caso é recomendável para adultos e somente com orientação médica.

Existem nos supermercados produtos sem lactose que possibilitam a ingestão dos alimentos lácteos, porém eu não recomendo a consumo deste produtos. A maior parte destes produtos industrializados sem lactose faz a quebra dela passando o leite por uma coluna de resina, e não pela quebra natural utilizando enzima lactase. Essa forma de quebra somada ao processo de UHT (necessário para aumentar a validade do produto) causa um reação chamada de Mailard, o resultado final dessa reação é a diminuição do valor nutricional do leite e a formação de produtos de glicação avançada que são moléculas pró-inflamatórias ligadas ao desenvolvimento de câncer.

Outro problema consumo regular do leite é que ele possui proteínas de difícil digestão que podem causar:

 

ALERGIAS

Enquanto a intolerância  é um problema digestivo, a alergia ao leite é uma reação desencadeada pelo sistema imunológico (de defesa) a uma ou mais das PROTEÍNAS do leite.

As alergias alimentares normalmente começam quando a digestão das proteínas não é adequada e existe um quadro de hiperpermeabilidade intestinal. As alergias alimentares acontecem quando uma PROTEÍNA NÃO DIGERIDA atravessa as células do intestino chegando na corrente sanguínea. O organismo as reconhece como uma substância estranha, ativa seu sistema imunológico e produz células inflamatórias e anticorpos  para combatê-las. Os anticorpos são as células de memória do sistema imune, e a partir do momento que elas são criadas toda vez que você consumir o alimento (neste caso o leite), esta reação acontecerá e sintomas aparecerão.

Os sintomas da alergia ao leite podem ser os mesmo da intolerância a lactose: distensão abdominal, dores, gases, diarreia e/ou constipação. Mas como a reação está acontecendo no sangue, o complexo de células imunológicas + as proteínas que elas estão combatendo, pode viajar por toda a corrente sanguínea e atingir diferentes sistemas no corpo como a pele, as articulações, o sistema respiratório e o sangue, gerando os sintomas que eu citei no começo do artigo.

Outra diferença é que os sintomas da alergia podem aparecer entre 2h e 3 dias após o consumo do alimento, tornando seu diagnóstico difícil.

Você suspeita que esse é o seu caso? Se sim, a melhor coisa a se fazer é uma dieta de eliminação.

Os exames laboratoriais para detectar alergias ainda não são muito certeiros, pois podemos produzir diferentes tipos de anticorpos e os exames só dosam no máximo 1 ou 2, podendo dar resultados falso negativos.

Na dieta de eliminação você deverá parar de consumir leite e derivados por 1 mês e notar se seus sintomas passam/diminuem. Após esse período faça um teste com os alimentos: volte a consumir leite puro em um dia e veja se os sintomas voltam, espere três dias e teste outro alimento (queijo amarelo ou queijo branco ou iogurte ou queijo de cabra ou ovelha), e observe se seus sintomas voltaram.

Se sim, você tem alergia ao leite de vaca. Se seus sintomas não diminuíram com a exclusão do leite pode ser que você tenha alergia a um outros alimento. Os alimentos com maior potencial de causarem inflamação e alergias são: leite de vaca, trigo, milho, ovos, amendoim, frutos do mar, frutas cítricas e semente oleaginosas.

A INTOLERÂNCIA A LACTOSE PODE SER A CAUSA BASE DA ALERGIA AO LEITE DE VACA, porque quando a lactose não é digerida ela pode causar irritação das células intestinais abrindo lacunas entre elas o que permite que a proteína do leite chegue até a corrente sanguínea começando o processo imunológico.

Se você ama queijo e não está disposto a abrir mão dele, eu sugiro que você dê preferência ao consumo de queijo da canastra, serrano e coalho feitos de leite cru e fermentação natural, pois estes não apresentam lactose (que foi toda fermentada) e as proteínas foram hidrolisadas (quebradas) durante o processo de fermentação.

Outros Perigos do Leite

A lactose e a proteína do leite são um problema sério para muitas pessoas que tem disfunções na sua capacidade de digestão. Porém além delas, o leite de vaca também contém outros compostos que o tornam um alimento potencialmente perigoso se consumindo diariamente.

Como as vacas leiteiras são expostas a uma demanda sobre natural de produção de leite, é extremamente comum que elas desenvolvam mastite (inflamação da mama). Como isso prejudica a produção do leite a indústria do leite criou a rotina de dar antibióticos para elas para evitar a inflamação. Estes antibióticos são transferidos para o leite, e quando nós o tomamos ele causa uma alteração na microbiota do nosso intestino podendo causar um quadro conhecido como DISBIOSE.

Vaca com Mastite